Viagem internacional de carro, dia 07: Santiago – Valparaíso

Deixei Santiago no fim da manhã, rumo à Viña Del Mar. Era um grande dia, afinal o objetivo principal seria cumprido: Atravessar o continente de costa a costa, entre os oceanos Atlântico e Pacífico!

Enfrentei dificuldades com o trânsito de Santiago naquele dia 2 de fevereiro de 2015, era uma segunda-feira e o trânsito de uma grande cidade é capaz de confundir qualquer turista, apesar disso e certamente por acaso, circulei em bons bairros da cidade e constatei a boa educação dos motoristas de lá.

Quando finalmente encontrei a saída para o litoral, passando próximo do Aeroporto Internacional Comodoro Arturo Merino Benítez, próximo a Costanera Norte, acessei a Ruta Nacional 68, onde parei para um abastecimento.

Como já havia percebido na Argentina, os chilenos possuem à disposição opções de gasolina com diferentes octanagens, o que permite aos clientes utilizar o combustível mais apropriado para seus motores, sem adição de etanol. O Omega recebeu gasolina de 95 octanas. A loja de conveniência era o mais próximo que já vi dos filmes de primeiro mundo, com diversas opções de bebidas e lanches quentes e frios e seria sempre dessa maneira nas autopistas próximas à Santiago.

Também no Chile ficou comum que as rodovias tivessem pedágio, todas que circulei havia cobrança pela utilização. O asfalto impecável parecia ser resultado da cobrança. Nas descidas mais ingrimes é normal haver área de escape para veículos pesados com problemas nos freios a cada curva, algo notável!

20150202_111532
Asfalto impecável! Foto: Autor

Alguns quilômetros à frente, as vinícolas passaram a dominar as paisagens! Áreas gigantescas de parreiras e placas indicando o caminho de diversos produtores de vinho, muitos deles já havia visto suas garrafas no Brasil.

Já chegando na região de Valparaíso, o tempo foi ficando nublado e enfrentei as mais baixas temperaturas da viagem, embora estivesse próximo ao litoral, parece que nós brasileiros associamos sempre litoral ao calor, não é verdade? O clima estava bastante úmido e havia formação de neblina, até quando já bem próximo de Valparaíso, a altitude começou a diminuir e assim também a umidade.

A rodovia de acesso à Valparaíso chega em uma região típica de centro da cidade, com muitas pessoas circulando, ônibus e trólebus ocupando espaço e também comércio ambulante. A cena me deixou a princípio decepcionado, e ainda sem saber onde iria me hospedar, decidir ir para Viña Del Mar.

20150202_121820.jpg
Chegada em Valparaíso. Foto: Autor

Ao final da Avenida Argentina, também há uma avenida chamada Brasil, ok? Tomei o caminho para Viña Del Mar, seguindo pela Avenida España, à beira mar e depois tomei a Avenida San Martin até encontrar um local para curtir o momento de missão cumprida e também almoçar. Estacionei o Omega ao lado de um Chevrolet Camaro e tratei de anunciar no Facebook que havia chegado ao meu destino.

Recebi os cumprimentos de várias pessoas e me senti orgulhoso pela coragem e determinação. Pouco me preocupava o fato de estar tão distante de casa e uma viagem inteira pela frente para retornar! Tentei falar com minha mãe ao telefone, não consegui e então liguei para meu irmão, com quem conversei por alguns minutos.

Fiz minha primeira refeição no litoral do Pacífico em um restaurante ali mesmo, à beira da praia. Depois andei por aproximadamente uma hora pela orla pensando na vida e nos propósitos da viagem, estava realmente feliz e realizado!

Observei muito a cena automotiva, claro! No Chile a frota é muito diversificada e grande parte dos automóveis são importados, o que proporcionou contato próximo com automóveis, caminhões e ônibus pela primeira vez, inclusive os icônicos caminhões Mack e picapes enormes da Chevrolet, GMC e Ford, tudo importado dos Estados Unidos.

Vi ainda Vectras e Astras, um Omega Suprema do modelo A e até um Omega B, todos importados da Alemanha, ostentando emblemas da Opel. Nas regiões mais pobres, em Valparaíso, haviam muitos Chevettes, todos de quatro portas e fabricados no Brasil.

20150203_101342
Omega B alemão que não tivemos no Brasil. Foto: Autor

Pesquisei na internet por hotéis de bandeira de baixo custo, e encontrei um em Valparaíso, tive que voltar à cidade para descansar e recarregar as baterias. Fiquei entre Valparaíso e Viña Del Mar por quatro dias, visitei pontos turísticos, pensei na vida e bebi vinhos e comi muitos frutos do mar como sempre faço quando estou em regiões litorâneas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s