Viagem Internacional de carro: Os caracóis chilenos

Minha viagem de automóvel até o Chile teve diversos objetivos, e entre eles o mais autoentusiasta foi percorrer as incríveis curvas em sequência de “Los Caracoles”, já em território chileno na Ruta Nacional 60. O desafio é grande, pois são mais de trinta curvas em sequência, a caminho da capital Santiago, após cruzar a fronteira entre Argentina e Chile.

O trecho em questão está no “Top 10” de estradas mais perigosas do planeta, segundo matéria da CNN (Link aqui). O perigo vem do ângulo fechadíssimo das pouco mais de trinta curvas. E não é só capricho, pois a diferença de altitude entre as extremidades é acentuada, o que faz o traçado seguir a ideia de degraus, pois seria inviável uma descida ou subida em linha reta.

Além da beleza natural do lugar, já que a rodovia está “rabiscada” entre os Andes, até a chegada o viajante já teve oportunidade de contemplar diversas paisagens maravilhosas, que vão além da grandiosidade dos Andes com formações gigantescas, colorações diferentes do mais cinza à tons avermelhados, mas também a beleza de rios de água limpa e gelada, cânions e vales, além de em determinado momento ser possível avistar o cume do Aconcágua, sendo que há um parque no lado Argentino com um mirante.

As polícias e exércitos dos dois países fazem seu trabalho e sempre foram sempre cordiais. apesar de quase sempre estranharem eu estar viajando sozinho. Minha viagem ocorreu durante o verão, entre janeiro e fevereiro, e o calor castigava mesmo em altitudes elevadas. Os processos de revista nas duas fronteiras são demorados e criteriosos, mas a caminho do Chile as revistas são mais detalhistas – meu carro foi até farejado por cães, tive que abrir todos as malas e recipientes para a fiscalização.

No lado argentino até Mendoza não há cobrança de pedágio, já no Chile é necessário ter dinheiro pois as rodovias são todas pedagiadas. Em contrapartida as rodovias chilenas que conheci eram todas impecáveis. Na descida da Ruta Nacional 60 até a autopista que leva a Santiago, por exemplo, existe uma espécie de asfalto especial nas curvas mais fechadas, de cor vermelha e maior coeficiente de atrito, o carro simplesmente grudava nas curvas. Nas descidas em autopistas é comum haver área de escape de segurança para caminhões, que podem eventualmente perder a capacidade de frenagem por fading.

A polícia rodoviária chilena desfila alguns Dodge Challenger V8 para patrulhamento e logo que vi isso passei a segurar minha vontade de acelerar mais. Também são reconhecidos por não aceitar qualquer tipo de comportamento inadequado, li diversos relatos sobre isso antes de iniciar minha viagem – subornos então, nem pensar! Mas não fui parado pelos “Carabineros” nenhuma vez, mas eles estão sempre fiscalizando as rodovias.

Algumas imagens da minha passagem em “Los Caracoles”.

2 comentários em “Viagem Internacional de carro: Os caracóis chilenos

  1. Fui de Mendonza a Santiago do Chile e vice-versa,..maravilha.
    Em 26/02/16 farei o trajeto Santiago a Mendonza novamente, para matar a saudade,….atééééé!!!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s