Avaliação FIAT Siena 1.6 16V

Avaliei este final de semana o FIAT Siena em sua versão Essence, bastante equipada de opcionais, porém sem o câmbio Dualogic e bancos revestidos em veludo. O modelo estava equipado com bolsas infláveis para motorista e passageiro dianteiro, som integrado ao painel com mp3 e entradas para pendrive e Ipod, controle eletrônico do acendimento dos faróis e limpador de pára-brisas, volante revestido em couro, rodas de liga leve em aro 15, ar-condicionado, direção hidráulica, todos os vidros com controles elétricos com acionamento um toque, sensor de ré, entre outros.

FIAT Siena 1.6 16v e-Torq
FIAT Siena 1.6 16v e-Torq

Externamente, o Siena é um carro que ainda agrada a maioria. Mesmo apresentando o mesmo desenho da área central desde o lançamento, o pequeno sedan recebeu diversas mudanças de visual, sendo que a última conferiu ao modelo um aspecto de carro de categorias superiores, com faróis duplos e apliques cromados. Porém, são detalhes insuficientes para mascarar as características de carro pequeno, já que é derivado do Palio.

A começar pelo pouco espaço para as pernas de quem está na frente, o carro é um tanto estreito, e mesmo pessoas de média estatura ficam com a cabeça muito próxima do teto, um desnível em maior velocidade e você se machuca, em um acidente a situação provavelmente é pior. Há um apoio de braço central que fica em uma posição desconfortável. O porta-luvas além de pequeno abriga também as conexões do pendrive e IPod para o sistema do som. Desagrada-me o fato do carro ligar o sistema de som sempre quando a parte elétrica é acionada na chave de ignição.

FIAT Siena 1.6 16v e-Torq

Os materiais plásticos do acabamento não estão entre os piores, porém há alguns detalhes pintados em um tom champagne, opcional, que demonstraram facilidade de descascar. O veículo avaliado estava com pouco mais de 200 km rodados e já mostrava defeito na pintura da maçaneta de abertura da porta do motorista. O painel é de fácil leitura e há computador de bordo com funções básicas, entre elas consumo médio e instantâneo.

FIAT Siena 1.6 16v e-Torq

No banco traseiro, pouco conforto. A caixa de roda traseira invade o habitáculo, sendo que o encosto do banco traseiro não cobre a região, deixando adultos desconfortáveis, sobretudo se três pessoas estejam sendo levadas no banco traseiro. Aqui o teto também é baixo e incomoda mesmo pessoas de média estatura.

FIAT Siena 1.6 16v e-Torq

O carro roda relativamente macio e tem bom comportamento em curvas, lembrando que o modelo estava equipado com pneus de aro 15 e perfil 60 da Goodyear, opcionais. Nessa configuração, algumas imperfeições são notadas, talvez bancos um pouco mais macios e com um revestimento melhor ajudassem a atenuar essa sensação.

FIAT Siena 1.6 16v e-Torq

O porta-malas é enorme e a tampa muito alta faz do sensor de ré um opcional muito bem vindo para ajudar as manobras. O estepe fica acondicionado no interior do carro, portanto, imune aos furtos. De negativo, o triângulo de emergência, que é afixado com carrapicho no carpete do assoalho!

FIAT Siena 1.6 16v e-Torq

Como se trata de um modelo conhecido pelo mercado, o que despertou maior curiosidade foi o comportamento do motor e-Torq, aqui na versão 1.6 litro. Derivado do Tritec, dispensado pela BMW, o motor é dotado de 16 válvulas e único comando acionado por corrente.

FIAT Siena 1.6 16v e-Torq

O primeiro problema que percebi foi o fraco torque disponível em baixas rotações. O motor só desperta para aceleradas a partir de aproximadamente 2800 RPM. Até essa faixa, o motor é fraco e demonstra lentidão para retomadas de velocidade, como ao sair de lombadas. Fiquei decepcionado, pois quando do lançamento, me lembro que destacaram a curva de torque. Espero que no motor maior, de 1,74 litro e erroneamente batizado pela FIAT de 1.8, o comportamento seja melhor.

FIAT Siena 1.6 16v e-Torq

O segundo problema é o consumo. O carro bebe demais. Apesar de o computador de bordo exibir média de 7,5 km/l com o tanque abastecido com etanol e gasolina, depois de rodar aproximadamente 30 KM já era grande a diferença no marcador ao estacioná-lo. Como possui um tanque pequeno, de 50 litros, a autonomia é certamente um ponto crítico para viagens longas.

De melhor, o e-Torq é um motor que vibra menos que seu antecessor, demonstrando maior suavidade em giro alto. Curioso ver que a disposição do motor ficou diferente do habitual, sendo o coletor de admissão na frente, próximo à grade do radiador, e o coletor de escape próximo à parede corta-fogo. Fiquei com receio de excesso de calor no habitáculo na região, mas a FIAT colocou um defletor que aparentemente faz o trabalho, pelo menos no modelo ainda zero quilômetro.

FIAT Siena 1.6 16v e-Torq

A correia de serviço, que aciona alternador, compressor do ar-condicionado e bomba de direção hidráulica passa por fora do suporte do motor, aparentemente a substituição parece simples. Como não há correia dentada, parece ser difícil aparecer necessidade de comparecer ao mecânico para manutenção. O motor consome 4,3 litros de óleo, sendo que o modelo indicado pelo fabricante é sintético e de viscosidade 5W30.

O Siena é um carro velho, que apesar de um visual externo legal, peca em espaço e acabamento interno, toda a esperança de um motor mais econômico em relação ao 1.8 da GM se desfaz em poucos quilômetros rodados. Um sedan que vê concorrentes mais feios, como o Renault Logan, dando um banho no que realmente interessa para esse público: Levar toda família sem muito aperto e de forma econômica, e ainda com espaço para levar a tralha.

Mas, se você na verdade procura um sedan bonito, não tem necessidade de levar mais quatro pessoas com frequência e não vai ficar muito revoltado de ver um motor 1.6 consumindo muita gasolina, o FIAT Siena com o novo motor atende. Só não será barato com os mesmos opcionais do modelo testado, de maneira que o carro só é entregue desembolsando algo em torno de R$ 48.000,00.

Já que é pra gastar, que tal uma olhada no Volkswagen Polo ou se esforçando um pouco mais até mesmo o New Fiesta? Se ficou caro para o orçamento, a sugestão é o competente e honesto Renault Logan.

Anúncios

14 comentários em “Avaliação FIAT Siena 1.6 16V

  1. Engraçado você avaliar o consumo de combustível pela “grande a diferença no marcador” (SIC), não creio que seja a melhor forma de se avaliar o nível de consumo (menos ainda por um computador de bordo).

    Outro ponto que me recordo bem com relação ao motor etorq (e você pode conferir isso facilmente) é que a FPT disse que o motor 1.8 era o que tinha uma grande quantidade de torque em baixas rotações, com relação ao 1.6 a propaganda era de que seria o mais potente da categoria, em nada se referindo a torque.

    Tem hora que as paixões precisam ser deixadas de lado e critérios mais científicos precisam ser utilizados a fim de se fazer uma avaliação com imparcialidade.

  2. Caro Hagi, boa tarde!
    Li sua avaliação do Siena 1.6 16v E-Torq.

    Bom, eu já tive dois sienas, um 2002 e um 2009, o primeiro 1.0 16v ELX e depois um 1.4 ELX.
    Estranhei o fato de que você comenta que o painel do carro é o mesmo desde seu lançamento. Observe bem! O painel do carro já mudou muido da primeira geração pra cá, principalmente nessa nova linha. O painel antigo permanece na linha fire! Mas concordo que o painel de instrumentos poderia ter mudado do 1.8 pro novo 1.6… aquele quadro plano “pintado” é de doer, uma das coisas que me levou a não escolher um siena e-torq ou mesmo 1.8gm.
    Agora, em relação à ergonomia, o que você chama de pessoa mediana, ou de média estatura??? Eu tenho 1,76cm de altura, e nunca, repito, NUNCA bati a cabeça no teto do meus sienas, tanto no banco da frente quanto nos detrás! E olha que eu pego umas boas estradas de terra de vez em quando (trabalhei com apoio de rally de velocidade durante 8 anos).
    Sempre me agradou o fato do carro me “abraçar mais” na posição do motorista. Confesso que gosto de apoiar a perna lateralmente no console central e descansar a mesma quando estou mais parado no trânsito, ou mesmo apoiar em condução mais esportiva.
    Consumo. Qual foi o ritmo que você impoôs ao veículo? Nos primeiros km, realmente o consumo é um pouco mais alto. Mas em todas as rodagens que já fiz em motores E-Torq, eles se mostraram mais econômicos que os motores 1.8GM. Mas vai tudo do pé do motorista.
    O motor 1.8 GM tem sim uma boa puxada, mas seu torque é bom só até os 4000rpm, depois disso, eu acho que ele “murcha”… O E-torq continua subindo e pedindo mais. Pelo menos é a impressão que eu tive ao pilotar vários veículos com esses motores.
    48000 é um preço salgado sim, mas pelo menos é um carro que me inspira a confiança de ser conhecido (carroceria, suspensão, freios, etc) frente aos chineses como o Cielo. E a manutenção de um Fiat é sempre de preço razoável também, desde que se cuide bem dele, como qualquer outro carro. O logan é sim um bom carro, se você pensar puramente racional no quesito espaço interno. Mas o carro é esquisito, com bancos ruins e ergonomia para o piloto péssima, em relação a instrumentos e comandos. Mesmo o sandeiro, tem o acionamento do farol de neblina no console central!!!
    Não acho que a lanterna traseira imite LEDs, como você disse. É simplesmente um desenho diferente que aproveita a lente cristalina para fazer um arranjo. Se for olhar assim, todos os carros produzidos no Brasil pecam em imitar LEDs…

    Bom, escrevo este texto como uma crítica construtiva, pois gostei das descrições que você fez. Mas nos próximos artigos (que espero sejam muitos!), coloque alguns números a mais, principalmente na questão ergonomia. Uma pessoa mediana no Brasil não tem 1,80m. OK?

    Um grande abraço, e continue o bom trabalho!

    Bruno Baptista

    1. Pessoalmente eu prefiro motores com boa disponibilidade de torque em baixas rotações.

      Meço 1,79 metros e com o banco do motorista posicionado adequadamente em distância para o volante e com o encosto regulado como se deve, percebi o problema de altura do teto. No entanto, não é apenas a altura do teto e banco que influenciam nisso, depende também do ajuste do banco.

  3. bem vc nem de longe deve comparar o siena com logan,,,,um carro esquisito pra mim que tenho siena,,,tem suas dificuldades sim,,,espero que cada dia a fiat melhores,,mas em questão de venda,,,vc demora uns dias pra se vender uma siena e uma ETERNIDADE pra se vender um logan,,,o custo beneficio nem se fala,,,suas criticas são boas,,,vc conhece bem de carro,,,mas pra quem trabalha com vendas,,,,o logan é tempo perdido,,dificil achar comprador pra ele,,,já o siena,,,o sedan bem mais vendido do que voyage,,ou logan,,,

    1. Você deve rever seus critérios de avalição. pois ele não é o mais espaçoso mais não é pequeno como citado, o motor e-torq sim é forte e tem um bom torque. compare com outros 1.6 tanto em retomadas como em arracadas e verá o que esotou dizendo. Quando for medir quilometragem/litro use um metado melhor pois esse de olhar o marcador é foda! outra trocar siena por logan é muita besteira.
      compare o que faz mais diferença em um carro uma pequena diferença em espaço ou uma enorme diferença em visual, charme ,elegancia.

  4. Pra quem dirigiu uma Belina 89 motor 1.8 hp motor craft ele realmente é fraco, mas ele se supera em conforto, estabilidade e baixo consumo, pois cara, o belinão bebe!!! Uma acelerada e uma bebida – risos – mas hoje tenho um siena El 1.0 e não tenho do que reclamar, estou adquirindo outro Siena essence e espero tb não ter o que reclamar, pois pra quem já andou de Caravan….É isso aí!

  5. Prezados amigos;
    só taxista comprei e estou esperando um siena 1.6 16v correia de comando da fiat, queria mais informações principalmente sobre o consumo do carro e a manutenção em relação a este motor que nunca tive (ex: óleo) e sobre a possibilidade de colocação de gás neste carro.
    obrigado,
    ricardo
    contato: ricardo.levi@hotmail.com

  6. Tenho de concordar com o pessoal, de fato, tive polo e o último foi um siena 1.0 fire. Uma coisa é certa: em termos de espaço para os passageiros de trás, o polo perde feio para o siena, sem falar no difícil acesso ao porta malas. E outra, o polo é muito mais caro. Por outro lado também é verdade que o motor e câmbio do polo é superior. Enfim, a reportagem não foi imparcial. Uma pena.

    1. Geraldo, não concordo que o texto é imparcial.

      Sobre o banco traseiro do Polo, há uma grande diferença entre os dois automóveis. O Polo tem acabamento melhor e o encosto para os passageiros traseiros que viajam próximo às portas não divide espaço como acontece no Siena. Acredito que para duas pessoas o banco traseiro do Polo seja mais confortável.

  7. Olá Raphael
    Dirijo varios tipos de carro, passando por Tiguan, Civic, Azera, Gran vitara, Santa fé, Vera Cruz, Doblo, Meriva e outros, que são carros da empresa que eventualmente utilizo. Acredito que você não tenha dedicado a atenção necessaria ao avaliar esse Siena.
    Primeiro, um erro imperdoavel para um avaliador: não conhecer os recursos disponiveis no veiculo a ser avaliado, pois o radio pode ser ou não programado para ligar ao se acionar o carro.
    Segundo, realmente o carro tem pouca força em baixa, pois trata-se de um veiculo 16v.
    Terceiro, você não fez observação ao excelente desempenho que expantou todo o pessoal aqui da empresa que de forma velada, comentam terem “dado pau” em veiculos de categoria/custo superior, alguns considerados “esportivos”, tais como: qualquer cruze, veloster, polo, e outros, que tornou o Siena um dos mais procurados para uso, pois não chama atenção, oferece um bom conforto, tem bluetooth, computador de bordo e um excelente desempenho.
    Quarto, sua sugestão de opção, um polo???, por favor, um veiculo tão antigo como o Siena que você tanto criticou, inclusive quanto ao espaço não é coerente.
    Aguardarei uma proxima avaliação sua.

    1. Colega,

      Infelizmente, as minhas avaliações são realizadas em um único dia, e alguns detalhes podem realmente passar desapercebidos, como a questão que você comentou sobre o rádio ser desligado automaticamente, embora, eu gostaria que o comportamento padrão fosse o rádio permanecer ligado.

      Embora seja 16V, os motores mais modernos possuem também coletor de geometria variável, o que consegue atenuar esse indesejado comportamento em motores, por exemplo, o Cruze consegue ter um melhor comportamento em situações de baixa rotação.

      Sobre o comportamento do motor, não considerei excepcional, e vou além, acho inferior ao antigo motor “corsa lunga” 1.6 16v da FIAT, utilizado na família Palio e Brava e na média de outros motores de concepção similar existentes no mercado brasileiro.

      Finalizando, com relação ao Polo. O fato de ele ser tão antigo quanto o Siena, não faz desse um automóvel inferior, pelo contrário. O Polo é um automóvel de concepção alemã que, mesmo atualmente no mercado brasileiro, não deve nada a ninguém de sua categoria em aspectos construtivos. Talvez a motorização seja um pouco inferior, mas, no balanço geral, tenho certeza, trata-se de um automóvel bem superior.

      Obrigado por dispensar sua atenção com o blog e deixar seus comentários.

  8. PUTA CARA SÓ SABE METER O PAU EM TUDO, SE PODIA FABRICAR UM CARRO COM CERTEZA AGRADARIA A TODOS, PORQUE VC É O PERFEITÃO E FODÃO, NOME DO CARRO: PERFEITO, MARCA: FODÃO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s