Rede Globo e Rede Record – Alguém tem razão?

Desde a semana passada, Rede Globo e Rede Record começaram uma guerra de acusações, onde só consegui chegar à seguinte conclusão: Como são podres os bastidores da televisão brasileira.

E isso porque, assim como os últimos escândalos que vieram à tona no Senado Federal, a impressão que fica é que todos os envolvidos possuem manobras que podem manchar as imagens da concorrência. E o pior, se o papel do jornalismo é mesmo o de informar o cidadão, fica a pergunta: Por que as acusações da Rede Record não vieram a público antes de a Rede Globo resolver apertar o botão vermelho? Veio a lembrança do que fez o Deputado Federal Roberto Jefferson quando denunciou o esquema do mensalão.

Ontem, durante o programa Domingo Espetacular, a Rede Record veio com diversas e sérias denúncias contra a Rede Globo, entre elas, as mais sérias são a respeito da compra da TV Paulista, sobre um terreno ao lado da sede da emissora em São Paulo e de um empréstimo concedido a Globo pelo BNDES.

Já a Rede Globo, durante a semana passada no Jornal Nacional e também no domingo através do Fantástico, trouxe a notícia de uma denúncia que fora aberta contra a Universal, a respeito de um antigo assunto sobre a origem da fortuna do bispo Edir Macedo, proprietário da Rede Record e chefe da Igreja Universal do Reino de Deus.

Particularmente, acredito que as duas empresas se valem de práticas discutíveis para alcançar crescimento, mas em minha opinião, a veracidade das acusações não seria motivo de discussão no blog, porque depende de profundas investigações.

Prefiro falar da maneira que as duas emissoras utilizam a informação para trocar acusações.

Em primeiro lugar, sempre achei estranha a maneira que a Globo sempre consegue acesso, com exclusividade, aos processos de pessoas que estão presas, como foi a entrevista com o traficante Beiramar há algum tempo. Isso foi abordado pela reportagem da Rede Record, mas me lembro que fiquei preocupado em como a Globo conseguiu imagens de um presidiário de alta periculosidade, preso em uma cadeira de segurança máxima – como?

Segundo a Rede Record, isso foi possível porque o Promotor de Justiça, Roberto Porto, o mesmo que está a frente da recente denúncia contra a Igreja Universal, é o mesmo que levou este vídeo para a Rede Globo. Estranho!

Outra situação que não compreendo é porque insistem tanto na questão de doações dos fiéis da Igreja. Afinal, porque não existe o mesmo empenho de investigações aos outros diversos tipos de extorsão existentes? Mesmo sabendo que a doação é, pelo menos teoricamente, espontânea?

Eu realmente acho que as pessoas que freqüentam a igreja realmente são ludibriadas a ponto de doar dinheiro, mas esse é um problema cultural e de falta de instrução da população. É simples, basta observar a enorme concentração de pequenos templos da mesma igreja em bairros mais pobres das cidades. É a ignorância que os fazem doar, são as mesmas pessoas que são enganadas com golpes de bilhete premiado, entre tantos outros.

Então porque não voltam o foco para cobrar das autoridades, de maneira consistente, o investimento em educação de qualidade à todas as classes sociais do pais? Talvez este questionamento seja contrário ao próprio império das emissoras de TV, que atualmente assistem ao franco crescimento de meios de comunicação como a internet, onde as pessoas podem pensar e pesquisar abertamente sobre qualquer tema e conseqüentemente vêem seu público migrando.

E porque a Rede Globo até agora não se manifestou a respeito das graves acusações da Record? Difícil saber. Mas o fato é que na verdade, as duas empresas não estão totalmente lícitas em suas atividades.

Uma prática que considerei genial por parte da Rede Record: Lendo na internet, vi que a emissora cobra valores altíssimos da Universal pelos horários em que a Igreja divulga seus cultos, sempre na madrugada, chegando a Rede Record a faturar cerca de 30% do seu total nesse horário, sendo que as outras emissoras, mesmo a Rede Globo, faturam uma fração disso. A Universal justifica que tentou comprar o mesmo horário na concorrência da Rede Record, sem êxito. Jogada de mestre!

Resta ao telespectador ficar atento aos acontecimentos e evitar tomar partido de qualquer lado que seja, pois a sujeira ali é muito grande.

Não sou fiel a qualquer igreja, e ao contrário do que possa parecer, não defendo a Igreja Universal. Mas em minha opinião ninguém deve procurar culpados, no caso de extorsões, o culpado é o próprio extorquido, quando em momentos de fraqueza procura apoio em entidades como a igreja. A fé de qualquer pessoa não depende de qualquer igreja. E se o cidadão quer doar o dinheiro dele, para a igreja ou para qualquer outra entidade, o problema é do próprio cidadão.

Pior faz o Governo com tantos impostos sobre a nossa renda, sendo que o resultado de toda essa entrega de dinheiro é tão subjetivo quanto os milagres prometidos pelas igrejas.

Enquanto isso, no Senado, sabe se lá o que acontece. O Deus de lá, José Sarney, deve estar adorando tudo o que acontece, afinal, as duas maiores emissoras se preocupam mais em trocar acusações que manter informado o cidadão a respeito da nossa vindoura pizza, a pizza sabor atos secretos.

Abaixo, links que valem a leitura:

http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=550JDB015

http://pt.wikipedia.org/wiki/Esc%C3%A2ndalo_do_mensal%C3%A3o

http://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&client=firefox-a&rls=org.mozilla%3Aen-US%3Aofficial&hs=aE8&q=promotor+justi%C3%A7a+igreja+universal

http://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&client=firefox-a&rls=org.mozilla%3Aen-US%3Aofficial&q=denuncias+rede+globo+tv+paulista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s